Top Ad 728x90

domingo, 2 de julho de 2017

,

Preconceito e falta de informação são obstáculos para vacina contra HPV

Preconceito, medo e falta de informação são os principais motivos para a baixa procura pela vacina contra o HPV, o papiloma vírus humano. O desinteresse pela imunização preocupa os órgãos de saúde, tendo em vista que a doença leva a vários tipos de cânceres, sendo o mais comum o do colo do útero.
Atualmente, há no estoque do estado sete mil doses, além das que estão disponíveis nas 188 salas de vacinas das unidades de saúde dos municípios acreanos. Entretanto, o Acre não corre risco de perder a vacina por conta do prazo de validade. O lote atual só vence em março do ano que vem, conforme divulgou a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI).
“Estamos nos precavendo quanto à data de validade dessas vacinas. Pedimos quantidades que atendessem à demanda do lote que venceria agora em agosto. As vacinas que estão no estoque seguem até março de 2018. Continuamos mobilizados junto às escolas para ter uma cobertura maior entre os adolescentes. Infelizmente, a desinformação sobre a vacina e o preconceito são os grandes obstáculos para atingirmos nossa meta”, destaca a coordenadora do PNI, Dora Holanda.
Na semana passada, o Ministério da Saúde ampliou o público-alvo. Agora meninos de 12 a 13 anos passam a tomar a vacina. A medida tem o objetivo de aumentar a cobertura entre adolescentes do sexo masculino, uma vez que a inclusão contribuirá para o aumento da proteção de meninas, que devem se imunizar na faixa etária que vai dos 9 aos 14 anos.

Vacinação nas escolas

Para aumentar a cobertura de crianças e adolescentes na vacinação contra o HPV, os ministérios da Saúde e Educação atuarão em conjunto com as equipes de atenção básica. Uma das propostas é que estudantes apresentem, já na matrícula, a caderneta de vacinação, e as escolas comuniquem o sistema de saúde sobre as doses prioritárias.
Além da parceria, a pasta planeja realizar uma campanha de conscientização direcionada ao público-alvo no mês de julho, período de férias escolares. Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina de HPV, com intervalo de seis meses entre elas. No caso de pessoas com HIV, a faixa etária é mais ampla, de 9 a 26 anos, e o esquema vacinal é de três doses.

Prevenção

A vacina contra o HPV contribui para redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres. A imunização também previne câncer de pênis, ânus, verrugas genitais, boca e orofaringe.

Top Ad 728x90